Primeira edição do Legal Meetings tirou o Direito do escritório e provocou troca de experiências

Que tal reunir estudantes e profissionais das mais diversas áreas do Direito em um ambiente descontraído e propício para a troca de experiências? Fugir dos escritórios e das salas de aula, ambientes formais de atuação dos profissionais do Direito, foi um dos motivos que levaram os Advogados e sócios do escritório Achutti Osorio Advogados Associados, Daniel Achutti e Fernanda Osorio, a criar o Legal Meetings, um encontro de estudos jurídicos.

O evento que pretende reunir um público disposto a debater os mais variados assuntos relativos à área de forma descontraída, mas sem perder a seriedade, teve sua primeira edição na última quinta-feira, dia 12/07, na Perestroika, em Porto Alegre. Além de tirar os participantes da zona de conforto fisicamente, a provocação também foi para o campo do debate. Afinal, é possível relacionar áreas do Direito e discutir sobre as suas semelhanças e peculiaridades? Foi isso que fez a Advogada, sócia do escritório Mônica Guazzelli Advogadas, Eliza Cerutti, ao responder a pergunta “o que o advogado criminalista precisa saber sobre Direito de Família?”

“O Direito de família está relacionado a um trauma”

Se tem algo que é preciso entender é que o Direito de Família está diretamente relacionado a casos que envolvem algum tipo de trauma. Esse foi o ponto de partida da fala da Advogada convidada. “É muito delicado, pois os casos carregam uma carga de trauma que muitas vezes são capazes de fazer o processo não ser levado adiante, além de serem facilmente desencadeados na esfera criminal”. Por isso, Eliza destacou a importância do papel do Advogado desde o primeiro instante que entra em contato com o caso. “No Direito de Família, a lei e a parte técnica vão resolver uma pequena parte do processo. O restante é jogo de cintura. Sendo assim, é essencial a sensibilidade e perspicácia do Advogado. O momento inicial de uma separação, por exemplo, é o momento mais crítico, mas também o mais importante para o desdobramento do caso”, ressalta.

A conjugalidade foi um dos tipos de casos apontados pela Advogada que também citou relações parentais diversas e casos envolvendo idosos.

A vida das pessoas está em jogo

Outro ponto destacado pela convidada é que, diferente de outras áreas do Direito, o de Família confere uma relação estreitada do Advogado com seu cliente. “A diferença do Direito de família é que o processo se mescla com a vida das pessoas. Não é como num caso contra uma empresa em que um problema se resolve e o caso acaba, a vida segue. As conseqüências estão diretamente ligadas a vida dessas pessoas. Por isso, é comum conhecermos mais sobre os clientes, o nome do filho, do esposo, quando estão em um novo relacionamento”, revela.

Além da fala de Eliza, o evento teve continuidade com perguntas e reflexões por parte dos participantes.

 

Próxima edição deverá acontecer em agosto

“O Direito é interdisciplinar e pra mim esse primeiro evento é simbólico. É uma forma do Direito se modernizar”, destacou a Advogada convidada da primeira edição do evento, Eliza Cerutti. E para dar continuidade a essa proposta é que a segunda edição do Legal Meetings deverá acontecer no mês de agosto e trazer um novo tema para o debate. Mais informações serão divulgadas em breve.

Notícias recomendadas